quinta-feira, 28 de maio de 2015

Feira Agrícola da Guiné-Bissau com início marcado para 29 de Maio em Bafatá

A edição de 2015 da Feira Agrícola da Guiné-Bissau inicia-se sexta-feira em Bafatá, a segunda cidade do país e que dá nome à região  onde se localiza, anunciou quarta-feira em Bissau o Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural.


Hipólito Djata, chefe de gabinete do ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, João Aníbal Pereira, disse ainda que o governo procederá nesse mesmo dia à abertura da campanha agrícola de 2015.


Djata adiantou que a feira vai ajudar a promover os produtos agrícolas guineenses no mercado regional e servirá também para demonstração de novas tecnologias usadas pelos agricultores para melhorar os rendimentos nos campos.

Hipólito Djata disse também que o governo vai aproveitar este certame para levar a cabo acções de sensibilização junto dos criadores de gado no sentido de aumentarem as respectivas manadas, assunto que será o tema central da campanha agrícola a iniciar-se.


O governo da Guiné-Bissau organiza feiras nas quais são expostos vários produtos agrícolas produzidos no país e geralmente adquiridos por comerciantes idos da capital ou dos países vizinhos para posterior revenda.




Ex-ministro brasileiro considera ajuda a Guiné-Bissau "grande responsabilidade"

O embaixador brasileiro e ex-ministro brasileiro das Relações Exteriores e da Defesa Celso Amorim afirmou na terça-feira à noite que a grande responsabilidade do Brasil em África é a ajuda à Guiné-Bissau.null
"O Brasil tem uma grande responsabilidade hoje, em minha opinião, se tivesse que singularizar uma, na África, [que é a] Guiné-Bissau. O Brasil tem de ajudar a Guiné-Bissau a se reerguer e a resolver os problemas", disse Amorim a jornalistas, após uma conferência sobre as relações Brasil-África, promovida pelo Instituto Lula.
Amorim opinou que seria uma vergonha para o Brasil nada fazer perante eventuais problemas, como a existência de grupos extremistas ou uma epidemia de Ébola, atingirem o país.
"Deus nos livre esse problema, do Boko Haram, ou o problema do Ebola chegarem à Guiné-Bissau e o Brasil não fazer nada, vai ser uma vergonha porque o país não vai conseguir sobreviver", disse.
Questionado sobre um possível papel do Brasil como mediador para a África, o ex-ministro realçou que, no caso do Boko Haram, não acredita que o país "tenha necessariamente algo para ensinar à Nigéria", mas que, caso a Nigéria solicite o Brasil deve ajudar.
Celso Amorim, conhecido por promover uma política externa de aproximação entre Brasil e África, durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva, negou-se a comentar a atual gestão da política externa brasileira, e, após ser questionado, não respondeu se acha que houve retrocesso nesse relacionamento com os países africanos.
FYB // NS
Lusa

Benfica de Bissau vence (1-0) Sporting e reforça liderança

O Benfica de Bissau recebeu e venceu o rival Sporting, por 1-0, reforçando a liderança no campeonato de futebol da 1.ª Divisão da Guiné-Bissau, jogo que concentrou as atenções da 18.ª jornada.Sporting atrasou-se na corrida pelo título

Sumaila Djassi, melhor marcador da prova com 22 remates certeiros, foi 
o autor do golo solitário do derby.

A oito jornadas do final do campeonato, o Benfica de Bissau soma, agora, 40 pontos.

Resultados completos da 18.ª jornada:

Benfica de Bissau-Sporting, 1-0

Mansoa-FC Cuntum, 2-1

Estrela Negra de Bissau-Bambadinca, 1-3

UDIB-Portos, 0-0

Bula-Canchungo, 1-2

Bolama-Bafatá, 2-1

Bubaque-São Domingos, 3-1

Classificação: 

1. Benfica, 40 pontos/18 jogos
2. Sporting, 36
3. Bafatá, 32
4. Mansoa, 31
5. Bambadinca, 31
6. Canchungo, 27
7. Bula, 26
8. São Domingos, 23
9. UDIB, 23
10. Bubaque, 20
11. Estrela Negra de Bissau, 16
12. Portos, 15
13. Cuntum, 14
14. Bolama, 12

Vírus Ébola está perto da Guiné-Bissau, alerta ministra da Saúde guineense

Resultado de imagem para A ministra da Saúde Pública da Guiné-Bissau, Valentina MendesA ministra da Saúde Pública da Guiné-Bissau, Valentina Mendes, alertou a população do país sobre o facto de o vírus do Ébola "estar perto", frisando que é preciso manter a vigilância e medidas de higiene.

"Queremos alertar a população de que o (vírus) Ébola ainda está perto de nós", disse a ministra referindo-se ao facto de a doença ter sido redescoberta nalgumas localidades da Guiné-Conacri próximas da fronteira com a Guiné-Bissau.

Na semana passada, segundo relatos da Organização Mundial da Saúde (OMS), foram confirmados, pelo menos, cinco novos casos do vírus Ébola em localidades no norte da Guiné-Conacri próximas da região sul e leste da Guiné-Bissau.

A ministra guineense da Saúde tranquiliza a população a quem pede, contudo, que mantenha as medidas de higiene que consistem em lavagem das mãos com água, sabão e lixivia e ainda evitar o consumo de carne de animais como macaco, morcego entre outras espécies.
"Queremos alertar a população de que Ébola encontra-se muito perto de nós, não está no nosso território mas encontra-se muito perto de nós", defendeu Valentina Mendes.

terça-feira, 26 de maio de 2015

Pelé e Abel Camará manifestaram-se indisponíveis para representar a Guiné-Bissau.

Os dois jogadores do Belenenses não avançaram com nenhuma justificação.
CamaráFoto: MIGUEL A. LOPES / LUSA
Os futebolistas do Belenenses Pelé e Abel Camará, ambos de origem guineense, comunicaram à Federação do país africano a sua indisponibilidade para representarem a seleção treinada pelo técnico português Paulo Torres, disse esta segunda-feira à Lusa fonte federativa.

Segundo a mesma fonte, o médio Pelé e o avançado Abel Camará, pré-convocados por Paulo Torres, enviaram, separadamente, mensagens eletrónicas à Federação guineense, nas quais se manifestaram indisponíveis para representar a Guiné-Bissau, que no dia 13 de junho defronta a Zâmbia, na qualificação para a Taca das Nações Africanas.

"Pelé e Abel Camará mandaram-nos e-mails a comunicar que não podem jogar para a seleção [guineense], mas não avançaram com nenhuma justificação", indicou a fonte federativa.

A Federação guineense enviou para Lisboa o vice-presidente para a área das seleções, Carlos Teixeira, com instruções no sentido de "tentar ouvir da voz dos dois jogadores os motivos para a recusa".

Carlos Teixeira foi a Portugal com a missão de convencer os jogadores convocados por Paulo Torres para participarem no jogo contra a Zâmbia, a contar para a primeira jornada do grupo Ede qualificação para a CAN2017, que se vai disputar no Gabão.

O grosso dos jogadores convocados por Paulo Torres, cuja lista final será anunciada ainda no decorrer desta semana, joga em clubes portugueses e em outros campeonatos europeus.

Além da Zâmbia, a Guiné-Bissau tem como adversários o Congo e o Quénia.

Rei Mohamed VI de Marrocos visita a Guiné-Bissau

Bissau – O Rei Mohamed VI do Reino de Marrocos vai visitar a Guiné-Bissau a partir de amanhã 27 de Maio, conforme revelou fonte ligada à organização da chegada do monarca marroquino a Bissau.



A deslocação do soberano marroquino ao país enquadra-se numa das várias deslocações que está a efectuar a alguns países da África, entre os quais a Guiné-Bissau, Costa do Marfim, Gabão e Senegal onde já se encontra desde 20 de Maio.

Para este efeito, a Presidência da República, a Assembleia Nacional Popular e o Governo criaram uma comissão conjunta sob a Presidência do Ministro dos Negócios Estrangeiros e das Comunidades, Mário Lopes da Rosa, coadjuvado pela Conselheira do Presidente da República para Assuntos Políticos e Diplomático Adiatu Djalo Nandigna e na qual também faz parte ainda, Artur Silva.

Em Janeiro deste ano, durante uma escala em Marrocos quando partia para Brasília para a cerimónia de investidura de Dilma Ruossef, o Rei de Marrocos prometeu ao Presidente da Guiné-Bissau uma visita ao país a acontecer ainda em 2015.

A PNN pode apurar que o Palácio Presidencial já foi deixado vago pelo Presidente da República, que instalou-se provisoriamente com a sua família na tradicional “Casa de Pedras”, a fim de permitir um melhor acolhimento, também de forma temporária, do novo efémero inquilino do Paço oficial do Chefe do Estado guineense.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Médicas do São João do Porto oferecem consultas e motivam enchente em hospital de Bissau

Duas médicas portuguesas do Hospital de São João do Porto começaram na segunda-feira a dar consultas gratuitas para despiste de diabetes e hipertensão no Hospital Pediátrico de Bór, nos arredores de Bissau, literalmente invadido por pacientes.


null
Inês Ferreira e Raquel Miriam Ferreira chegaram à Guiné-Bissau como voluntárias numa missão que pretendem levar a cabo durante 15 dias, mas que as próprias já consideram insuficiente devido à procura.

As duas médicas de clínica geral portuguesas queriam atender diariamente 40 pacientes, mas devido às solicitações acabam por observar mais do que esse número, contou à agência Lusa Raquel Ferreira, no meio de uma consulta.

"A diabetes tem crescido muito e daí a necessidade de dar informação e de rastrear a população", sublinhou.

Ter diabetes acarreta "muitos riscos, essencialmente a nível cardiovascular", mas também complicações oculares, nos pés ou rins, indicou Inês Ferreira.

Muitos doentes, de ambos os sexos, chegam ao hospital de Bór nas primeiras horas do dia na esperança de serem atendidos pelas médicas portuguesas, cuja presença tem sido noticiada nos órgãos de comunicação social locais.

"Tem havido muita procura. As pessoas chegam ao hospital muito cedo, porque ouviram falar na radio, na televisão e vêm à nossa procura. As pessoas têm grande abertura e querem saber qual o seu estado em relação a estas duas doenças", acrescentou Raquel Ferreira.

Numa primeira análise, as duas médicas portuguesas admitem que a diabetes e a hipertensão têm crescido na Guiné-Bissau devido ao "estilo de vida e aos hábitos alimentares" da população.

Como conselhos, recomendam o abandono do modo de hábitos sedentários, "comer menos e mais vezes ao dia, preferir legumes, comer arroz e batata separadamente e em poucas quantidades, reduzir o sal nos alimentos e sobretudo praticar exercício físico, pelo menos, três vezes por semana".

MB // APN

Lusa

Portugal envia mais quatro especialistas para prevenir Ébola na Guiné-Bissau



A Direção-Geral de Saúde vai enviar mais quatro especialistas para ajudar a detetar e prevenir o vírus Ébola na Guiné-Bissau, respondendo a um pedido da Organização Mundial da Saúde (OMS) e reforçando a equipa portuguesa no país.


LUIS MIGUEL FONSECA/LUSA Hospital Regional de Gabu, cidade do Leste da Guiné-Bissau.
"A Organização Mundial da Saúde (OMS) em Genebra contactou a Direção-Geral da Saúde (DGS) no sentido de selecionar rapidamente especialistas em epidemiologia e antropologia para se deslocarem de imediato à Guiné-Bissau e este pedido da OMS foi respondido positivamente", reforçando-se a missão já em Bissau, disse à Lusa Francisco George, o diretor-geral da DGS.

"Selecionámos quatro especialistas de imediato para serem contratados pela OMS", referiu ainda Francisco George, sem acrescentar mais pormenores.

A Guiné-Bissau possui desde março um laboratório instalado por Portugal, no qual especialistas do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e do Instituto Nacional de Saúde (INSA) Dr. Ricardo Jorge podem detetar o vírus Ébola a partir de amostras em cerca de cinco horas.

Antes desse laboratório, era necessário recorrer ao estrangeiro, com prazos mais longos e arriscando a que a demora na análise comprometesse o isolamento das cadeias de transmissão.

Cinco casos de Ébola foram detetados num município do norte da Guiné-Conacri que faz fronteira com a Guiné-Bissau, anunciou na quarta-feira a OMS.

De acordo com o relatório de quarta-feira da OMS, a semana passada foi aquela em que se registou o maior número total de casos confirmados de Ébola ao longo de um mês, com 35 casos notificados da Guiné-Conacri e Serra Leoa.

Dada a proximidade, "uma equipa de resposta da Guiné-Bissau foi enviada para a fronteira para avaliar pontos de entrada", anunciou a OMS.

Por outro lado, "uma equipa de investigação epidemiológica também se mobilizou para garantir que quaisquer contactos que atravessam a fronteira são rastreados".

Apesar de os países vizinhos (Guiné-Conacri, Mali e Senegal) já terem sido afetados pela epidemia, nenhum caso de Ébola foi detetado na Guiné-Bissau.

A equipa de portugueses que está na Guiné-Bissau a ajudar este país na deteção do Ébola já apoiou os profissionais locais a controlarem um surto de sarampo e um outro de meningite, assim como estão a desenvolver atividades de formação.

A África Ocidental foi atingida por um grande surto de Ébola, que teve início no fim de 2013/início de 2014, que já matou mais de 10 mil pessoas e os países mais afetados são Serra Leoa, Guiné-Conacri e Libéria, segundo a OMS.

Greenpeace denuncia pesca ilegal chinesa na Guiné-Bissau

A Greenpeace apresentou hoje em Pequim, China, o resultado de um grande inquérito que revela que as frotas chinesas pescam ilegalmente na África Ocidental, incluindo na Guiné-Bissau.

De 13 em 1985, o número de navio de pesca com pavilhão chinês ou propriedade de empresas chinesas aumentou para 462 em 2013, refere a organização ambiental.

Em oito anos, a organização não-governamental identificou 114 casos de pesca ilegal realizados por aqueles navios em águas da Gâmbia, Guiné-Conacri, Guiné-Bissau, Mauritânia, Senegal e Serra Leoa.

Aqueles navios estavam a operar sem licenças ou em áreas proibidas.

A pesca ilegal foi denunciada pela Greenpeace e pela União de Coordenação de Operações de Vigilância da Comissão regional de pescas, com sede em Dacar.

Segundo a organização, 60 daqueles casos estão relacionados com a maior empresa de pesca da China, a China National Fisheries Corporation, detida pelo Estado chinês.

"Apesar do governo chinês estar a eliminar algumas práticas de pesca mais destrutivas nas suas águas, as lacunas nas políticas existentes conduzem à aplicação de normas menos rigorosas em África", lamenta em comunicado a organização.

Os casos mais recentes detetados pela Greenpeace ocorreram nas zonas económicas exclusivas do Senegal, Guiné-Bissau e Guiné-Conacri entre 26 de outubro e 21 de novembro de 2014.

Questionado pela agência noticiosa AFP, um responsável da empresa estatal de pescas chinesas recusou responder.

"Enquanto a China estendeu a mão a África durante o surto de ébola, empresas sem escrúpulos chinesas exploram ilegalmente o meio marinho da África Ocidental, aproveitando-se da fraca supervisão das autoridades locais e chinesas e prejudicando os pescadores locais e o meio ambiente", disse Rashid Kang, chefe da Greenpeace para a China.

Missão do BAD na Guiné-Bissau avalia impacto ambiental da barragem de Saltinho

Uma missão do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) encontra-se na Guiné-Bissau para proceder à revisão dos estudos de avaliação do impacto ambiental levados a cabo nos anos 80 por algumas empresas para a construção da barragem de Saltinho.
Resultado de imagem para barragem de Saltinho.Guiné-Bissau
A missão de peritos ambientais daquela instituição financeira internacional já se deslocou à localidade de Saltinho e manteve um encontro com o ministro guineense dos Recursos Naturais, Daniel Gomes, a quem informou das potencialidades daquela futura barragem.

Na ocasião, o ministro Daniel Gomes informou que, aquando da sua estada em Saltinho, a missão disse ter identificado o local em que aquela infra-estrutura de produção hidroeléctrica deveria ser instalada, isto tendo em conta o impacto local em termos ambientais.

A missão do BAD reuniu-se, igualmente, com o ministro das Finanças, Geraldo Martins com quem discutiu os aspectos financeiros ligados ao referido projecto tendo o ministro Daniel Gomes afirmado que após a conclusão dos trabalhos será provavelmente lançado o concurso público para a construção da referida barragem.

O ministro dos Recursos Naturais disse ainda que só depois de concluídos os estudos é que só estimar o custo da construção e recordou que o empreendimento insere-se num projecto sub-regional denominado Organização para o Aproveitamento do Rio Gâmbia, que além da Guiné-Bissau integra o Senegal, a Gâmbia e a Guiné-Conacri.

Guiné-Bissau prepara conferência de reconciliação nacional

Comissão Nacional é liderada pelo vigário-geral da diocese de Bafatá.
Foto de Arquivo
Um ano após o regresso da Guiné-Bissau à normalidade constitucional, o país prepara agora um conferência nacional de reconciliação. Uma iniciativa da qual se espera transparência e responsabilização, antes de se cicatrizar as feridas de um país com um longo historial de instabilidade.

Guiné-Bissau prepara conferência de reconciliação nacional - 2:07

por 32 personalidades, entre académicos, membros de organizações da sociedade civil, dirigentes políticos e religiosos e juristas.

Nas ruas, os cidadãos revelam uma enorme expectativa quanto ao trabalho desta comissão e da conferência nacional.

Eliseu Aguinaldo da Silva aplaude a iniciativa, mas espera que não seja uma reconciliação de fachada. Primeiro, quer conhecer os culpados para depois falar de uma eventual amnistia e reconciliação.

Na mesma linha, Januário Jaló, que há nove anos estava fora do país, diz ter acompanhado no Brasil e no Reino Unido “amargamente os acontecimentos violentos que marcaram a terra que o viu nascer, através da imprensa. Por isso concorda com a iniciativa e augura um futuro melhor para a Guiné-Bissau.

A Comissão Nacional para a Preparação da Conferência de Reconciliação na Guiné-Bissau é liderada por Domingos da Fonseca, vigário-geral da diocese de Bafatá, no leste do país, igualmente padre da Igreja de Buba, no sul da Guiné-Bissau, que já apontou a promoção da paz como o seu principal objectivo.

Fonte : VOA

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Novas infra-estruturas : Primeiro-ministro visita estradas em construção na capital

Bissau – O Primeiro-ministro guineense, Domingos Simões Pereira, visitou na sexta-feira, 16 de Maio, as vias urbanas em construção na capital, Bissau, com a finalidade de acompanhar a evolução das referidas obras.



Entre as localidades em reabilitação constam a Avenida Osvaldo Vieira, a Avenida Cidade de Lisboa, a estada do Bairro Militar, a estrada de Pluba, a estrada em volta de Bissau, bem como a estrada que liga a rotunda do Bairro de Quelele ao Líbia Hotel.

Em declarações à Imprensa, Domingos Simões Pereira disse que se trata de uma visita de rotina para constatar o nível de avanço das obras, o que já tinha sido feito antes mas ganha agora especial relevância com o aproximar da época das chuvas.

Neste sentido, o Primeiro-ministro disse acreditar que os trabalhos serão concluídos sem maiores complicações devido às chuvas.

«Já constatei dificuldades de várias situações que eles estão a encontrar no terreno, porque que normalmente quando uma estrada é projectada primeiro colocam-se tubos de reserva para que todas as condutas possam ser canalizadas, o que não é o caso aqui, pois eles estão a trabalhar e a encontrar barreiras que devem ter soluções, que têm outras implicações financeiras», disse Simões Pereira.

Apesar desta situação, o Chefe do Governo disse acreditar nas capacidades dos técnicos das obras públicas, no sentido de resolverem a situação.

«Acredito não só nas qualidades das pessoas que estão envolvidas nestas obras como também na capacidade de resolverem estes problemas», disse o Chefe do Governo.

Líder Benfica perde terreno para o Sporting na Guiné-Bissau

Na jornada que se realizou durante o último fim de semana ficou por realizar a partida entre São Domingos e UDIB devido a questões administrativas.
Futebol
O líder Benfica cedeu um empate na deslocação a Canchungo na 17.ª jornada da Primeira Divisão de futebol da Guiné-Bissau e o Sporting, segundo classificado, aproveitou para reduzir a diferença para o topo da classificação.

Numa das jornadas com mais golos (22) nesta época, a partida entre Canchungo e Benfica não foi exceção, com um total de seis remates certeiros que resultaram num empate (3-3).

O Sporting foi a Bambadinca vencer a equipa local pela margem mínima (1-0), mas suficiente para ficar apenas a um ponto do líder.

Leões’ e ‘águias’ defrontam-se no próximo fim-de-semana.

Na jornada que se realizou durante o último fim de semana ficou por realizar a partida entre São Domingos e UDIB devido a questões administrativas.

Resultados da 17.ª jornada

Cuntum - Estrela Negra de Bissau, 4-1.

Bolama - Bijagós, 2-1.

São Domingos - UDIB (*).

Bafatá - Balantas de Mansoa, 1-0.

Canchungo - Benfica, 3-3.

Bambadinca - Sporting, 0-1.

Portos de Bissau - Bula, 2-4.

(*) não se realizou por questões administrativas.